Fotos tiradas por padre missionário revelam Amazônia e suas tribos na década de 70

Conhecido como o grande “Deus Branco” por algumas tribos indígenas, Alexander Ferdinand Bendoraitis (09/09/1919 – 22/11/1998) era lituano, sacerdote, missionário, filantropo, capitão militar, médico talentoso e fluente em oito línguas.

Sua reputação era tal que moradores locais chegavam a andar centenas de quilômetros em busca de sua ajuda quando estavam doentes, sendo que alguns deles acabavam morrendo no caminho. Passou a sua própria vida no limite: o missionário sobreviveu a três tentativas de assassinato, derrotou a malária sete vezes, e ficou à deriva, assim como muitos.

A.F Bendoraitis construiu seu próprio império na Amazônia. Foi considerado um homem tão excepcional que foi tema do documentário “Alexandre, o Grande”.

Confira imagens autênticas retiradas do documentário.

Homens da tribo depois de uma caçada

af 001

Índia cuidando de um bebê

af 002

Pescaria com lanças

af 003

Índias procurando alimento

af 004

Jovem pescador e sua coroa de penas

af 006

Caçando com arco e flecha

af 007

Momento de descontração dos índios

af 008

Realizando uma cerimônia tradicional (chicha)

af 009

O grande “Deus Branco” – Padre Bendoraitis

af 010

Navegando com um barco de pesca

af 011

Jovem índio provavelmente vendo uma câmera pela primeira vez na vida

af 012

Todas as fotos Boredpanda.

Veja também: 

Compartilhe este artigo nas redes sociais clicando abaixo!

Escrito por
Mais de Fernando

Roseiras: Principais Pragas e Formas de Controle Alternativo

Depois da publicação do artigo no qual falamos sobre as principais doenças...
Leia mais

1 Comment

  • Eu, tive o grande privilégio de conhecer o Padre Bendoraiti (Bendô) como era chamado, pelo meu pai e outros amigos do padre. Nós de familia muito humilde, fomos muitas veses ajudados pelo padre, inclusive com consultas e remedios totalmente gratis, Guajará Mirim/RO na época fazia muito frio, e o padre doava pra minha familia e outras familias cobertores e agazalho, eu era muito crianaça mais lembro pefeitamnete de como ele era bom e humano, consultas era sem limite quantas pessoas tivesse pra consultar ele consultava todas e ainda tinha tempo pra administrar o hospital (Bom Pastor) e cuidar do seu ministério pois ele como sacerdote celebravas as missas.

Comments are closed.